“No passado, quaisquer gorduras de origem animal, mesmo em pequenas quantidades causariam doenças, especialmente as cardiovasculares. Hoje sabemos que não é bem assim, ao contrário: a manteiga, dentre outros componentes do leite, protege a saúde humana.”

 

Os pre­ços para man­tei­ga na bol­sa de mer­ca­do­ri­as de lác­te­os, deno­mi­na­da Glo­bal Dairy Tra­de (GDT), aumen­ta­ram 42% des­de o iní­cio des­te ano, sem que os pre­ços do lei­te tenham acom­pa­nha­do tal aumen­to. De fato, a deman­da por gor­du­ra de lei­te tem aumen­ta­do regu­lar­men­te. Um fator de aumen­to da pro­cu­ra por man­tei­ga é o enor­me mer­ca­do con­su­mi­dor chi­nês, ain­da rela­ti­va­men­te novo, com ren­da per capi­ta e poder de com­pra cres­cen­tes. Porém, diver­sos ana­lis­tas de mer­ca­do reco­nhe­cem que a mai­or deman­da pela man­tei­ga é resul­tan­te da ten­dên­cia glo­bal dos con­su­mi­do­res por die­tas que reto­mem pro­du­tos natu­rais. Sai a mar­ga­ri­na, vol­ta a man­tei­ga.

Que dife­ren­ça no com­por­ta­men­to dos con­su­mi­do­res! A razão ori­gi­nal para essa mudan­ça de com­por­ta­men­to são os resul­ta­dos de pes­qui­sas cien­tí­fi­cas sofis­ti­ca­das que demons­tram os bene­fí­ci­os da gor­du­ra do lei­te à saú­de huma­na, publi­ca­das por dife­ren­tes equi­pes de pes­qui­sa­do­res em todo o mun­do. Os resul­ta­dos sur­pre­en­dem, por­que duran­te mui­tos anos, os órgãos de saú­de públi­ca, acom­pa­nha­dos por indús­tri­as de ali­men­tos e pela mai­o­ria dos pro­fis­si­o­nais de saú­de, reco­men­da­vam uma ali­men­ta­ção com teo­res redu­zi­dos de gor­du­ras, espe­ci­al­men­te do coles­te­rol. No pas­sa­do, quais­quer gor­du­ras de ori­gem ani­mal, mes­mo em peque­nas quan­ti­da­des cau­sa­ri­am doen­ças, espe­ci­al­men­te as car­di­o­vas­cu­la­res. Hoje sabe­mos que não é bem assim, ao con­trá­rio: a man­tei­ga, den­tre outros com­po­nen­tes do lei­te, pro­te­ge a saú­de huma­na.

Estu­dos vêm demons­tran­do que o con­su­mo de pro­du­tos lác­te­os ricos em gor­du­ra, como lei­te inte­gral, quei­jos e man­tei­ga, sem­pre asso­ci­a­do a outros hábi­tos, tais como o con­su­mo de fibras, a prá­ti­ca regu­lar de exer­cí­ci­os físi­cos, não fumar etc. pode, na ver­da­de, pro­te­ger o orga­nis­mo huma­no con­tra doen­ças vas­cu­la­res, dia­be­tes tipo 2 e con­tra tipos de cân­cer. Uma das razões é a com­po­si­ção da man­tei­ga, que con­tém mais de 400 tipos de áci­dos gra­xos, o nome téc­ni­co para gor­du­ras. Man­tei­ga é o ali­men­to “400 em 1”! Tem a com­po­si­ção mais com­ple­xa das gor­du­ras do que qual­quer outro ali­men­to. Um dos seus com­po­nen­tes mais estu­da­do é o áci­do lino­lei­co con­ju­ga­do, ou CLA. É o com­po­nen­te “1 em 400”, por se des­ta­car quan­to aos efei­tos bené­fi­cos na saú­de huma­na.

O CLA é pro­du­zi­do prin­ci­pal­men­te pela fer­men­ta­ção da for­ra­gem no rúmen e pas­sa para o lei­te duran­te sua sín­te­se. Por cau­sa dis­so, ani­mais ali­men­ta­dos com for­ra­gens, espe­ci­al­men­te a pas­to, pro­du­zem lei­te com mai­or teor de CLA. O tipo de for­ra­gem e cer­tas alte­ra­ções na die­ta da vaca per­mi­tem aumen­tar a sua con­cen­tra­ção, como foi demons­tra­do pela equi­pe da Embra­pa Gado de Lei­te, seus par­cei­ros, e por outros pes­qui­sa­do­res. Impor­tan­te para os pro­du­to­res bra­si­lei­ros é que for­ra­gei­ras tro­pi­cais têm o poten­ci­al de aumen­tar a con­cen­tra­ção des­te com­po­nen­te. E ain­da, as raças zebuí­nas e seus mes­ti­ços podem pro­du­zir mais CLA.

Vári­as pes­qui­sas estão em cur­so, des­de a sele­ção gené­ti­ca para indi­car ani­mais pro­du­to­res de mai­o­res teo­res de sóli­dos no lei­te e na sua gor­du­ra, mai­o­res teo­res do com­po­nen­te “1 em 400”; até aque­las que visam entre­gar aos pro­du­to­res bra­si­lei­ros boas prá­ti­cas de pro­du­ção de lei­te que seja natu­ral­men­te enri­que­ci­do com os com­po­nen­tes dese­já­veis para a saú­de huma­na, asso­ci­an­do gené­ti­ca ani­mal e mane­jo da ali­men­ta­ção, incluin­do for­ra­gens, óle­os e adi­ti­vos natu­rais.

Afi­nal, a ten­dên­cia detec­ta­da pelos ana­lis­tas do mer­ca­do de lác­te­os pelo con­su­mo de pro­du­tos natu­rais vai além daque­les tra­di­ci­o­nais, pois mui­tos con­su­mi­do­res estão dis­pos­tos a pagar mais por pro­du­tos deno­mi­na­dos fun­ci­o­nais, ou ain­da, nutra­cêu­ti­cos.  Por outro lado, a legis­la­ção bra­si­lei­ra ain­da não per­mi­te que a man­tei­ga ou outro pro­du­to sejam ven­di­dos com a ale­ga­ção de con­ter mais CLA. Como é uma ten­dên­cia dos con­su­mi­do­res, a regu­la­men­ta­ção ocor­re­rá no futu­ro.  Fica a dica, conhe­ça mais e pre­pa­re seu reba­nho e sua pro­pri­e­da­de para esse futu­ro.

Rolar para cima