Cepa MTD/1 pode ser sua aliada na alta produtividade de leite

 
 
 

Inoculantes para silagem: qual bactéria você realmente precisa?

O principal objetivo da produção de silagem é preservar o máximo possível do valor nutricional da planta. Sendo assim, se você busca aumentar a eficiência do processo de fermentação e conservação da sua silagem, os aditivos são a resposta para ajudar a garantir a estabilidade aeróbica da sua forragem. 

Mas, para entender melhor sobre o assunto, Nathaly Carpinelli, coordenadora técnica da Nutricorp, trouxe algumas informações de estudos realizados pelo Dr. Philip Jones, que é gerente de pesquisa em microbiologia no Reino Unido e vem pesquisando e informando muitos produtores sobre o tema.

Antes de mais nada é importante salientar que na verdade, existem somente duas espécies de bactérias ácido lácticas que podem apoiar e são essenciais para atingir esses objetivos descritos acima.

A primeira delas é a Lactobacillus plantarum, para eficiência de fermentação, e a segunda Lactobacillus buchneri, para deterioração aeróbica. Obter domínio rápido e completo da fermentação da silagem por bactérias ácido láticas é o caminho para se obter uma forragem de alta qualidade, com maior preservação de nutrientes. 

“A maioria dos inoculantes aplicam grande número de cepas de bactérias, especialmente selecionadas, dominando a população natural e conduzindo uma fermentação adequada, rapidamente”, afirma Nathaly. Mas, como ela continua e ressalta, nem todos os inoculantes são igualmente bons. Grande parte dos inoculantes possui Lactobacillus plantarum, mas o fato é que a maioria das cepas existentes nele acabam por não funcionar bem quando utilizadas em um pH de gramíneas frescas ou milho, por exemplo. Para que ocorra uma ação efetiva, o pH precisa diminuir para 5 Além disso, a maioria dos inoculantes encontrados no mercado, tem necessidade de cepas auxiliares para iniciar o processo de fermentação.

“Pensando nessa questão, os inoculantes ECOSYL, trazem em sua estrutura L. plantarum cepa MTD/1, uma cepa incomum, com características únicas. Dessa forma, esse inoculante deverá agir também em situações onde encontramos uma faixa ampla de pH da silagem, que vai de números acima de 6,8 e abaixo de 4, e sem a necessidade de uma cepa auxiliar para iniciar a fermentação, promovendo multiplicação de do início ao fim do processo”, explica Nathaly.

As cepas MTD/1 são tão incomuns porque dominam a fermentação de forma mais rápida. Quanto mais rápido o pH cair, observamos uma maior preservação de nutrientes, conservação da matéria seca e proteína verdadeira, razões que ajudam a aumentar a produção de leite dos animais.

Mas, ter a bactéria certa trabalhando para a qualidade da sua silagem é somente uma parte do caminho. “A maioria dos inoculantes contém bactérias liofilizadas, um processo que preserva sua estrutura até que se adicione água para sua reativação. Vale ressaltar que as bactérias são organismos vivos e sujeitos a vários fatores estressantes durante o processo de fabricação e armazenamento, que afetará sua taxa de recuperação”, conta Nathaly. 

Técnicas de fabricação insuficientes geralmente se refletem em armazenamento inadequado e na vida útil da mistura no tanque de fabricação. Afinal, isso é o que vai garantir a recuperação e a sobrevivência das bactérias quando ensiladas. Vários estudos independentes têm demonstrado que produtos bem conhecidos do mercado não atingiram as taxas de aplicação ideais, alguns com problemas graves. O que não ocorre com o MDT/1 que se beneficia de mais de 40 anos de experiência de ECOSYL em fabricar inoculantes, e produz bactérias robustas capazes de sobreviver ao armazenamento e se reidratar rapidamente. Portanto, a vida útil do ECOSYL é garantida em 2 anos e na vida útil da mistura do tanque em 3 dias.

Se o produtor tiver problema na silagem em virtude da deterioração aeróbia, por causa do tipo de cultura, má consolidação, manejo do silo, ou baixa remoção de alimento em ambientes com altas temperaturas, nós precisamos buscar alternativas para alterar o perfil de ácido da fermentação da silagem. “Para estas situações, ECOCOOL, possui a cepa PJB/1, Lactobacillus buchneri, que converte um pouco de ácido lático produzido pelo Lactobacillus plantarum em ácido acético,  inibindo assim o crescimento de leveduras e mofos que causam deterioração aeróbica, quando a silagem é exposta ao ar”, finaliza.

Escolher o inoculante ideal para o seu negócio é importante para o aumento do valor nutritivo da forragem a ser ensilada. Escolha com cautela e sempre tenha em mente qual o seu objetivo durante o processo de ensilagem.

Fonte: Nutricorp

Abrir bate-papo
1
Escanear o código
Olá 👋
Podemos ajudá-lo?