fbpx

O esta­do é o pri­mei­ro do Cen­tro-Oes­te a con­ce­der o selo de qua­li­da­de, que per­mi­te a ven­da inte­res­ta­du­al dos ali­men­tos pro­du­zi­dos de for­ma arte­sa­nal

Ministra Tereza Cristina entrega Selo Arte a produtores artesanais de queijo de Goiás

A minis­tra Tere­za Cris­ti­na (Agri­cul­tu­ra, Pecuá­ria e Abas­te­ci­men­to) e o gover­na­dor de Goiás, Ronal­do Cai­a­do, par­ti­ci­pa­ram nes­te sába­do (3), no Sin­di­ca­to Rural de Ale­xâ­nia, da entre­ga do Selo Arte a pro­du­to­res de quei­jo arte­sa­nal. Goiás é o pri­mei­ro esta­do do Cen­tro-Oes­te a con­ce­der o selo.

O selo foi entre­gue aos pro­du­to­res de quei­ja­ri­as arte­sa­nais da Fazen­da Coquei­ral (Corum­bá de Goiás), San­ta Fé da Lagoi­nha (San­to Antô­nio do Des­co­ber­to) e Quei­ja­ria Lima (Ale­xâ­nia).

Selo Arte per­mi­te a ven­da dos ali­men­tos, como lác­te­os e cár­ne­os, pro­du­zi­dos de for­ma arte­sa­nal em diver­sos esta­dos, abrin­do opor­tu­ni­da­de para o pro­du­tor incre­men­tar sua ren­da. É tam­bém uma garan­tia de que o pro­du­to foi fabri­ca­do con­for­me carac­te­rís­ti­cas e méto­dos tra­di­ci­o­nais ou regi­o­nais pró­pri­os, além de seguir as boas prá­ti­cas agro­pe­cuá­ri­as e de fabri­ca­ção. O pro­du­to arte­sa­nal é sub­me­ti­do à fis­ca­li­za­ção de órgãos de saú­de públi­ca dos esta­dos e do Dis­tri­to Fede­ral. 

O Minis­té­rio da Agri­cul­tu­ra esta­be­le­ceu os cri­té­ri­os para a comer­ci­a­li­za­ção inte­res­ta­du­al dos pro­du­tos com base no cum­pri­men­to das exi­gên­ci­as sani­tá­ri­as e dos requi­si­tos de exce­lên­cia de pro­du­ção arte­sa­nal, que evi­den­ci­am o vín­cu­lo cul­tu­ral e ter­ri­to­ri­al. Os esta­dos e o Dis­tri­to Fede­ral são res­pon­sá­veis pela con­ces­são do Selo Arte e pela fis­ca­li­za­ção dos pro­du­tos, caben­do ao Minis­té­rio da Agri­cul­tu­ra coor­de­nar a imple­men­ta­ção da polí­ti­ca e rea­li­zar a ges­tão do sis­te­ma de con­ces­são e con­tro­le do Selo. Cada selo tem um núme­ro de ras­tre­a­bi­li­da­de para iden­ti­fi­ca­ção do pro­du­tor, data e local de fabri­ca­ção do pro­du­to. Antes do Selo Arte, esses pro­du­tos arte­sa­nais de qua­li­da­de não podi­am ser comer­ci­a­li­za­dos além de seus Esta­dos de ori­gem, o que tra­zia pre­juí­zos para pro­du­to­res e con­su­mi­do­res.

Em Goiás, a con­ces­são é fei­ta pela Agên­cia Goi­a­na de Defe­sa Agro­pe­cuá­ria (Agro­de­fe­sa). Além das três quei­ja­ri­as con­tem­pla­das, mais sete esta­be­le­ci­men­tos já estão com pro­je­tos apro­va­dos.

A minis­tra para­be­ni­zou os pro­du­to­res que rece­be­ram o selo. “Hoje vocês vão repre­sen­tar uma serie enor­me de pro­du­to­res do esta­do de Goiás. Que essa rota do turis­mo rural pos­sa imple­men­tar essa gas­tro­no­mia tão gos­to­sa de Goiás e de outros esta­dos do país”.

 

O pro­du­tor rural Rafa­el da Sil­va Lima, da quei­ja­ria Lima, dis­se que a assis­tên­cia téc­ni­ca fez com que ele pudes­se aumen­tar a sua pro­du­ção, com a aju­da dos filhos “Hoje é o dia da nos­sa vitó­ria”, dis­se.

Outros cin­co esta­dos já con­ce­de­ram o Selo Arte: Minas Gerais, São Pau­lo, San­ta Cata­ri­na, Pará e Espí­ri­to San­to.

O secre­tá­rio de Ino­va­ção do Mapa, Fer­nan­do Camar­go, tam­bém par­ti­ci­pou do even­to. 

Em Goiás, a con­ces­são é fei­ta pela Agên­cia Goi­a­na de Defe­sa Agro­pe­cuá­ria (Agro­de­fe­sa). Além das três quei­ja­ri­as con­tem­pla­das, mais sete esta­be­le­ci­men­tos já estão com pro­je­tos apro­va­dos.

A minis­tra para­be­ni­zou os pro­du­to­res que rece­be­ram o selo. “Hoje vocês vão repre­sen­tar uma serie enor­me de pro­du­to­res do esta­do de Goiás. Que essa rota do turis­mo rural pos­sa imple­men­tar essa gas­tro­no­mia tão gos­to­sa de Goiás e de outros esta­dos do país”.

Fon­te: Mapa

Rolar para cima