No período de um ano, Fazenda Poço do Canário eleva a taxa de prenhez em 35%

Há 1 ano, a Fazenda Poço do Canário, em Caetanópolis (MG) adotou a tecnologia de monitoramento SenseHub Dairy, da MSD Saúde Animal, que utiliza colares para monitoramento do rebanho. E o resultado superou as expectativas: o Retorno Sobre o Investimento (ROI) ocorreu após 7 meses. Em um ano, a taxa de prenhez saiu de17,8% para 23,20% e a taxa de serviço saiu de 52,10% para 54,20%, de acordo com mensuração realizada pelo veterinário Sérgio de Pinho Melo Matos e pela nutricionista Aline Soares do Espírito Santo, que integram a equipe da fazenda.

Daniel Dias Ribeiro é o representante da terceira geração da família a comandar a Fazenda Canário do Poço, está à frente dos negócios desde 2011. A propriedade foi adquirida em 1989 por seu pai, José Euclides Ribeiro mas antes, o avô de Daniel já criava gado e sempre estimulou os filhos a investir nos estudos, uma vez que ele próprio era médico. Assim, Daniel e seu pai são formados em medicina e seu tio, Antonio Augusto, é engenheiro agrônomo, responsável pelo setor de agricultura da fazenda.

Dos primórdios, quando tinham 30 vacas, para o plantel atual de 500 cabeças de girolandos, houve um grande esforço para modernizar as atividades, instensificado com a entrada de Daniel.

O gestor da Fazenda Poço do Canário conta que, após morar por um período na Holanda, para fazer doutorado na área médica, teve contato muito próximo com as fazendas de pecuária intensiva e voltou inspirado a implantar mudanças nos negócios e garantir alta produtividade.

Hoje, eles produzem aproximadamente 5.500 litros dia com 170 vacas e fornecem para  grandes empresas lácteas,  porém a meta é ganhar escala. “Nos próximos 10 anos, vamos dobrar a produção de leite, utilizando o máximo de automação possível. Mas antes precisamos aumentar de forma significativa a produção de milho, grão e silagem”, comenta Daniel. O foco é elevarr a produção de comida para escalar a produção de leite, uma vez que o principal custo da fazenda é com concentrado e volumoso.

Para dar conta do desafio, é preciso lançar mão de tecnologia e contar com o apoio de parceiros no suporte técnico e de gestão. Nesse contexto, entra o relacionamento com a MSD Saúde Animal. “ A ideia era ter uma assistência para conseguirmos fazer a diferença e utilizarmos o conhecimento para agregarmos valor na fazenda. Isso fez com que a parceria durasse”, conta o produtor.

Foi em 2010 que a médica-veterinária Patrícia Salles, consultora em Pecuária da MSD Saúde Animal, passou a visitar a Fazenda  Poço do Canário e, a partir de 2022, as visitas se intensificaram.

“Nosso trabalho é muito mais que vender produtos, trabalhamos para entender as dores dos fazendeiros e oferecer conhecimento que se converta em resultados. Dessa forma, estabelecemos uma relação de confiança com nossos clientes, como parceiros estratégicos”, comenta a médica-veterinária. Os serviços agregados são essenciais na jornada da MSD Saúde Animal com seus clientes.

O proprietário da fazenda relata: “A aquisição do colar ampliou o número de informação sobre saúde animal e reduziu o custo com a reprodução porque conseguimos identificar com mais segurança o cio e a suspeita de aborto,  e assim tivemos melhora na eficiência reprodutiva” .

O colar indica quando o animal está em cio e o melhor momento para inseminar. Como consequência, na Fazenda  Poço do Canário houve uma diminuição de quase 50% nos hormônios no uso de protocolos, de acordo com os dados coletados e processados pelos técnicos da propriedade. No que tange à sanidade, com o monitoramento, os diagnósticos são precoces, logo, as doenças são abordadas com antecipação, garantindo o conforto animal e a melhora da eficiência reprodutiva.

Na propriedade dos Ribeiro, 100% do gado adulto é fruto de transferência de embrião, desde 2017, o que não é o padrão das fazendas de leite brasileiras. “Hoje não consigo me ver trabalhando sem os colares. Continuo olhando o cio, mas tenho tranquilidade de que eu não vou deixar escapar nenhum ciclo”, reforça o médico. Outro aspecto relevante, ocorrido após um ano, foi a redução em dias em aberto, sendo hoje 15 dias. “Foi um ganho de duas semanas”, destaca Patrícia.

A fazenda se preocupa tbm com bem-estar (BEA) animal e a tecnologia da MSD Saúde Animal mostra se os animais estão sendo bem tratados. Daniel acrescenta que o SenseHub é como se fosse uma auditoria para BEA. “Mais cedo ou mais tarde, vamos agregar essa sustentabilidade no preço”, planeja.

O investimento em monitoramento do rebanho ajuda a assegurar as conquitas da Fazenda Poço do Canário. “Vamos fazer outro galpão para escalar o negócio. Precisamos produzir comida. Quanto mais eu tenho segurança de que o cotidiano da fazenda gira, mais consigo investir no negócio e ter mais retorno financeiro”, conclui Daniel.

Fonte: MSD Saúde Animal

Abrir bate-papo
1
Escanear o código
Olá 👋
Podemos ajudá-lo?