As cota­ções do lei­te ao pro­du­tor ter­mi­na­ram o ano de 2018 em que­da, mas já em janei­ro de 2019 se obser­va um cená­rio de inver­são de ten­dên­cia. Segun­do pes­qui­sa­do­res do Cepea (Cen­tro de Estu­dos Avan­ça­dos em Eco­no­mia Apli­ca­da), da Esalq/USP, a “Média Bra­sil” líqui­da de janei­ro (refe­ren­te à cap­ta­ção de dezem­bro) foi de R$ 1,2836/litro, apro­xi­ma­da­men­te 4% (ou 5 cen­ta­vos) aci­ma do valor regis­tra­do no mês ante­ri­or. A alta foi mais inten­sa nos esta­dos do Sul do Bra­sil, mas, por outro lado, no Sudes­te, os pre­ços se man­ti­ve­ram pra­ti­ca­men­te está­veis. A valo­ri­za­ção do lei­te no cam­po este­ve atre­la­da à ofer­ta limi­ta­da e ao aumen­to da com­pe­ti­ção entre empre­sas para asse­gu­rar maté­ria-pri­ma.

Ape­sar de, no geral, 2018 ter sido um ano de ele­va­ção dos pre­ços ao pro­du­tor, os cus­tos de pro­du­ção subi­ram jus­ta­men­te no últi­mo tri­mes­tre daque­le ano, perío­do em que a recei­ta do pecu­a­ris­ta recu­ou – o que fre­ou novos inves­ti­men­tos. Além dis­so, no final de 2018, as assi­me­tri­as de infor­ma­ções e ações espe­cu­la­ti­vas dimi­nuí­ram a con­fi­an­ça de pro­du­to­res em seguir aumen­tan­do a pro­du­ção, limi­tan­do a ofer­ta já em janei­ro. Além dis­so, há que se con­si­de­rar que o exces­so de chu­vas no Sul e a escas­sez no Cen­tro-Oes­te tam­bém impac­ta­ram a ati­vi­da­de.

A expec­ta­ti­va para feve­rei­ro é de que os pre­ços aumen­tem ain­da mais, uma vez que, duran­te janei­ro, as empre­sas acir­ra­ram a dis­pu­ta por for­ne­ce­do­res e ele­va­ram os pata­ma­res de nego­ci­a­ção. Além dis­so, os mer­ca­dos do lei­te spot (nego­ci­a­ção entre indús­tri­as) e do lei­te UHT (lon­ga-vida), impor­tan­tes dire­ci­o­na­do­res do pre­ço no cam­po, tam­bém rea­gi­ram. No pri­mei­ro mês de 2019, a mai­or deman­da das indús­tri­as pelo lei­te spot impul­si­o­nou sua valo­ri­za­ção em 37,6% na média de Minas Gerais. No caso do UHT, o pre­ço médio rece­bi­do pelas indús­tri­as no esta­do de São Pau­lo regis­trou alta acu­mu­la­da de 6,5% de 2 a 29 de janei­ro.

Mudan­ça da meto­do­lo­gia - A par­tir de janei­ro de 2019, os pre­ços médi­os do lei­te ao pro­du­tor pas­sa­ram a ser cal­cu­la­dos pelo Cepea com base em uma nova meto­do­lo­gia. As prin­ci­pais mudan­ças são: cole­ta de dados desa­gre­ga­da por pro­du­tor; nova nomen­cla­tu­ra para pre­ços míni­mos e máxi­mos, que pas­sam a ser “pre­ço médio do menor estra­to de pro­du­ção (mai­or que 200 litros de lei­te por dia)” e “pre­ço médio do mai­or estra­to de pro­du­ção (mai­or que 2.000 litros de lei­te por dia)”; novo cál­cu­lo das médi­as esta­du­ais e da “Média Bra­sil”, que pas­sam a ser pon­de­ra­das pelo volu­me da amos­tra (para obter mais deta­lhes sobre a mudan­ça meto­do­ló­gi­ca, aces­se: www.cepea.esalq.usp.br).

Rolar para cima