fbpx

Aumen­to se deu pela alta deman­da e bai­xa ofer­ta do pro­du­to no mer­ca­do

Preço do leite ao consumidor tende a desacelerar com o fim da entressafra

O Índi­ce de Pre­ços ao Con­su­mi­dor (IPCA), divul­ga­do pelo IBGE, apre­sen­tou um aumen­to do pre­ço lei­te lon­ga vida de 22,99% (acu­mu­la­do no ano). Ao lado do arroz (19,25%) e do óleo de soja (18,63%), o lei­te foi um dos pro­du­tos que mais pesa­ram no item “Ali­men­ta­ção e Bebi­das”, do IPCA (veja a vari­a­ção de alguns pro­du­tos lác­te­os no final des­ta repor­ta­gem). Mas pes­qui­sa­do­res e ana­lis­tas do Núcleo de Soci­o­e­co­no­mia, da Embra­pa Gado de Lei­te, afir­mam que essa alta é nor­mal e se deve, prin­ci­pal­men­te, ao perío­do de entres­sa­fra, que come­çou em abril, com a dimi­nui­ção das chu­vas no cen­tro-sul do país, e vai até final de setembro/início de outu­bro em boa par­te do país.

Para o pes­qui­sa­dor João César de Resen­de, todos os deri­va­dos lác­te­os tive­ram aumen­to de pre­ços no ata­ca­do no perío­do devi­do à bai­xa ofer­ta de lei­te que, no últi­mo tri­mes­tre, ficou 3% menor do que no mes­mo perío­do do ano pas­sa­do. “O quei­jo muça­re­la, por exem­plo, foi um dos deri­va­dos lác­te­os com a alta mais expres­si­va e está sen­do ven­di­da no ata­ca­do a R$29,64/quilo”, infor­ma. Já o lei­te UHT (cai­xi­nha), que ini­ci­ou agos­to na fai­xa dos R$ 3,20/litro, está pró­xi­mo de R$ 3,60, no ata­ca­do em São Pau­lo.

Além da entres­sa­fra, o tam­bém pes­qui­sa­dor da Embra­pa, Glau­co Car­va­lho, apon­ta o aumen­to do con­su­mo como outro res­pon­sá­vel pela ele­va­ção dos pre­ços. “O auxí­lio emer­gen­ci­al con­ce­di­do pelo Gover­no Fede­ral fez com que a fai­xa mais pobre da soci­e­da­de pas­sas­se a con­su­mir mais, aumen­tan­do o dese­qui­lí­brio entre ofer­ta e deman­da, sus­ten­tan­do os pre­ços em pata­mar mais ele­va­do”, diz.

Nes­te mês, a região Sul do país atin­ge o pico de safra de lei­te, com a ele­va­ção das tem­pe­ra­tu­ras e o aumen­to das chu­vas. Nas regiões Sudes­te e Cen­tro-Oes­te, a reto­ma­da cos­tu­ma ocor­rer mais tar­de e a pro­du­ção atin­ge o pico ape­nas em dezem­bro. No entan­to, o pes­qui­sa­dor Ricar­do Andra­de apon­ta uma pre­o­cu­pa­ção: “Os mapas cli­má­ti­cos têm mos­tra­do que as chu­vas podem atra­sar um pou­co nes­te ano, ocor­ren­do só em mea­dos de outu­bro”. Isso teria como con­sequên­cia o atra­so na recu­pe­ra­ção das pas­ta­gens e a ampli­a­ção do perío­do da entres­sa­fra para a região cen­tral do Bra­sil (Sudes­te e Cen­tro-Oes­te).

Bom para o pro­du­tor – A entres­sa­fra é, geral­men­te, um perío­do posi­ti­vo para o pro­du­tor em ter­mos de pre­ços do lei­te, quan­do ele pode aumen­tar sua mar­gem de lucro, ape­sar dos desa­fi­os pro­du­ti­vos. O ana­lis­ta Fábio Diniz diz que com o cres­ci­men­to da deman­da nes­te ano, a situ­a­ção está um pou­co melhor. “Em setem­bro, refe­ren­te ao lei­te entre­gue em agos­to, os pro­du­to­res estão rece­ben­do em média R$ 0,20 a mais pelo litro de lei­te em rela­ção ao mês pas­sa­do”, diz. Alguns lati­cí­ni­os che­gam a pagar R$ 0,25 a mais. “A média do pre­ço do lei­te ao pro­du­tor, com boni­fi­ca­ção por qua­li­da­de, foi de R$ 1,94 por litro em agos­to”, con­fir­ma Rezen­de.

No entan­to, o aumen­to no cus­to de pro­du­ção tem pre­o­cu­pa­do os pro­du­to­res de lei­te. Agos­to foi ter­cei­ro mês con­se­cu­ti­vo de alta do milho e o cere­al está 51% aci­ma de agos­to do ano pas­sa­do. NO fare­lo de soja a valo­ri­za­ção foi de 47%nos pre­ços. No perío­do de entres­sa­fra, o milho e o fare­lo de soja são os pro­du­tos mais deman­da­dos pelas pro­pri­e­da­des lei­tei­ras, jun­ta­men­te com o ali­men­to volu­mo­so.

Para os pró­xi­mos meses, segun­do os espe­ci­a­lis­tas da Embra­pa Gado de Lei­te. O cená­rio macro­e­conô­mi­co, gera expec­ta­ti­va e pre­o­cu­pa­ções. O cor­te pela meta­de do auxí­lio emer­gen­ci­al, o aumen­to do desem­pre­go e con­se­quen­te que­da da ren­da terão impac­tos nega­ti­vos no mer­ca­do, geran­do um ambi­en­te de vola­ti­li­da­de e inse­gu­ran­ça.

Vari­a­ções do gru­po “lei­te e deri­va­dos” — Ao con­su­mi­dor, o gru­po de lei­te e deri­va­dos regis­trou aumen­to de 11% no acu­mu­la­do do ano. Veja a seguir as vari­a­ções de alguns dos pro­du­tos:

 

Lei­te UHT

23%

Lei­te con­den­sa­do

4%

Quei­jos

3%

Cre­me de lei­te

0%

Iogur­te

0%

Man­tei­ga

1%

Para infor­ma­ções sem­pre atu­ais do mer­ca­do de lei­te e deri­va­do, aces­so o link do Cen­tro de Inte­li­gên­cia do Lei­te, da Embra­pa Gado de Lei­te: www.cileite.com.br.

Fon­te: Embra­pa Gado de Lei­te

Rolar para cima