fbpx

Esse é o pri­mei­ro pro­du­to arte­sa­nal a rece­ber o selo no Esta­do de San­ta Cata­ri­na

Queijo Serrano recebe Selo Arte

Santa Cata­ri­na ini­ci­ou a entre­ga do Selo Arte para pro­du­tos arte­sa­nais. O pri­mei­ro pro­du­to a rece­ber a cer­ti­fi­ca­ção no esta­do foi o quei­jo ser­ra­no pro­du­zi­do pela famí­lia Zane­la­to, no muni­cí­pio de Bom Reti­ro. Com o selo, o quei­jo pode­rá ser comer­ci­a­li­za­do em todo o país.

O Selo Arte é a rea­li­za­ção de um anti­go sonho de pro­du­to­res arte­sa­nais de todo o Bra­sil. Ele per­mi­te que pro­du­tos como quei­jos, embu­ti­dos, pes­ca­dos e mel pos­sam ser ven­di­dos livre­men­te em qual­quer par­te do ter­ri­tó­rio naci­o­nal, eli­mi­nan­do entra­ves buro­crá­ti­cos. Para os con­su­mi­do­res, é uma garan­tia de qua­li­da­de, com a segu­ran­ça de que a pro­du­ção é arte­sa­nal e res­pei­ta as boas prá­ti­cas agro­pe­cuá­ri­as e sani­tá­ri­as. 

“Este selo é um reco­nhe­ci­men­to ao tra­ba­lho do pro­du­tor, que ago­ra vai poder ven­der seus pro­du­tos com mais segu­ran­ça. Ofe­re­cer opor­tu­ni­da­des como esta é incen­ti­var a famí­lia a per­ma­ne­cer no cam­po, pro­du­zin­do com mais qua­li­da­de de vida”, des­ta­ca o secre­tá­rio esta­du­al da agri­cul­tu­ra, Ricar­do de Gou­vêa.

Para ser con­si­de­ra­do arte­sa­nal, o pro­du­to deve ser sub­me­ti­do ao con­tro­le do ser­vi­ço de ins­pe­ção ofi­ci­al (muni­ci­pal, esta­du­al ou fede­ral), ter fabri­ca­ção indi­vi­du­a­li­za­da e genuí­na, que man­te­nha a sin­gu­la­ri­da­de e as carac­te­rís­ti­cas tra­di­ci­o­nais, cul­tu­rais ou regi­o­nais.  

O casal Air e Jacin­ta Zane­la­to come­çou a pro­du­ção do quei­jo como um hobby, para apro­vei­tar o lei­te pro­du­zi­do no Sítio San­to Antô­nio, que adqui­ri­ram em 2006, no muni­cí­pio de Bom Reti­ro, com o pro­pó­si­to de pro­du­zir vinhos e cri­ar gado. A ati­vi­da­de, que vinha des­de seus ante­pas­sa­dos, foi se sobres­sain­do às demais ati­vi­da­des.
A entre­ga do Selo Arte foi come­mo­ra­da. “Somos peque­nos, mas tra­ba­lha­mos com mui­ta qua­li­da­de. O Quei­jo Arte­sa­nal Ser­ra­no é fei­to com pou­cos ingre­di­en­tes, mas tem mui­to da his­tó­ria e da tra­di­ção dos nos­sos ante­pas­sa­dos. Eles nos deram de pre­sen­te o bem fazer de um pro­du­to que atra­ves­sa gera­ções e é úni­co para a nos­sa região. Apre­sen­tá-lo a mais pes­so­as e regiões é moti­vo de orgu­lho”, dis­se.

Fon­te: Epagri/SC

Rolar para cima