Em momento desafiador, suplementação adequada garante maior eficiência na atividade leiteira

O leite está passando por grandes mudanças e um processo acelerado de tecnificação e consolidação. As fazendas maiores seguem crescendo, enquanto as médias e pequenas estão com maior dificuldade de expansão e muitos têm deixado a atividade. O forte aumento de custos após o início da pandemia da Covid-19 acabou agravando a situação e vem exigindo melhores práticas de gestão, investimentos em automação e muita eficiência produtiva. O estudo Projeções do Agronegócio 2022/23 a 2032/33, realizado pelo Ministério da Agricultura e Pecuária (MAPA), projeta que o crescimento médio da pecuária de leite fique abaixo dos 2% ao ano.

Ainda, segundo o estudo, a concentração setorial e ganhos de eficiência serão os principais drivers de movimentação a longo prazo. Isso não implica que todos os produtores menores irão sair. “Os excluídos serão aqueles que não se adaptarem a nova realidade de adoção tecnológica, melhorias na gestão e maior eficiência técnica e econômica. Irão permanecer os produtores eficientes. Mas como existe uma diferenciação de preço por volume, haverá sim, uma pressão por aumento de escala”, explicam os autores.

A produção de leite deverá crescer nos próximos 10 anos a uma taxa entre 1,7 e 2,7%. Essas taxas correspondem a passar de uma produção de 34,1 bilhões de litros em 2023 para 40,5 bilhões no final do período das projeções. O crescimento de oferta será principalmente baseado em melhorias na gestão das fazendas e na produtividade dos animais e menos no número de vacas em lactação.

Tabela: Produção, Consumo, Importação e Exportação de Leite

  Produção (mil t) Consumo (mil t) Importação (mil t) Exportação (mil t)
2023 34.157 35.323 1.295 128
2024 34.791 35.953 1.297 131
2025 35.424 36.584 1.298 133
2026 36.058 37.215 1.300 136
2027 36.691 37.845 1.301 139
2028 37.325 38.476 1.303 142
2029 37.958 39.107 1.305 145
2030 38.592 39.737 1.306 148
2031 39.225 40.368 1.308 150
2032 39.859 40.999 1.309 153
2033 40.493 41.629 1.311 156

Fonte: Elaboração da CGPOP/DAEP/SPA/MAPA e SUEST/SMAE/Embrapa com dados do IBGE; Embrapa Gado de Leite.

* Modelos utilizados: Para produção, consumo, importação e exportação modelo PA.

Variação %
2022/23 a 2032/33
Produção (milhões de litros) 18,50%
Consumo (milhões de litros) 17,90%
Importação (milhões de litros) 1,20%
Exportação (milhões de litros) 22,10%

Fonte: MAPA

 

Nutrição determina desempenho final do rebanho de produção de leite a pasto

“O pecuarista leiteiro precisa estar atento a todas as fases de desenvolvimento do animal, para garantir a eficiência da propriedade e, consequentemente, o lucro. Um dos pontos de cuidado é a alimentação, que visa certificar um bom desenvolvimento e evitar possíveis prejuízo no futuro”, explica a Responsável Técnica da Minerthal, Letícia de Souza Santos.

A qualidade e consumo da pastagem é um divisor de águas entre um sistema de produção a pasto eficiente ou não. A avaliação da composição química da pastagem é o direcionador para tomada de decisão, de acordo com as frações de matéria seca (MS), proteína bruta (PB), fibra em detergente neutro (FDN) e matéria mineral (MM). As pastagens tropicais são comumente deficientes em alguns nutrientes de acordo com a época de ano, e este déficit causa danos ao desenvolvimento e produtividade na pecuária leiteira.

“Suplementar os nutrientes que o pasto não contempla e que são exigidos pelos animais é uma prática que ajuda a explorar o máximo desempenho neste sistema. Para isso, é indicado suplementar minerais, vitaminas, proteína e energia, dependendo da necessidade animal e da meta de desempenho”, alerta Letícia.

A importância da suplementação se dá por três principais ponto:

  • Mineiras, proteína, energia e vitaminas são indispensáveis para o bom desenvolvimento das funções vitais dos animais. A correta suplementação tem relação direta com a saúde dos animais, prevenindo doenças e melhorando a imunidade;
  • De acordo com a categoria animal e com a meta de desempenho, a exigência nutricional por cada nutriente é alterada. Assim, é extremamente necessário realizar a suplementação com o objetivo de otimizar os resultados;
  • Além da melhora na saúde e desempenho animal, a suplementação pode auxiliar em alterações no comportamento, facilitando o manejo.

“Para a escolha de qualquer estratégia de suplementação a ser utilizada, é necessário um bom planejamento, entendendo quais serão os benefícios, o capital investido e o tempo de retorno. Além disso, a estrutura da propriedade precisa ser adequada e os colaboradores treinados para as rotinas a serem implantadas”, finaliza a Responsável Técnica.

Fonte: Minerthal

Abrir bate-papo
1
Escanear o código
Olá 👋
Podemos ajudá-lo?